terça-feira, 28 de março de 2017

Bruxaria literária 01

Resultado de imagem para a ciranda das mulheres sabias

Desde o ano passado eu tento começar meus estudos sobre bruxaria tradicional - aquela, a mais feministona - e seguir uma lista imensa de obras que me foram recomendadas por uma mocinha muito simpática de um grupo pagão. Mas confesso que tentar iniciar pelos livros mais explicativos e metódicos, que falam sobre covens, rituais, orações, etc, mais até do que sobre a própria fé, não funcionou pra mim. São bons livros mas não me fazem lembrar o caloroso abraço que sinto quando reflito sobre a existência da Deusa e suas bençãos.
Que foi exatamente o que A ciranda das mulheres sábias, sobre ser jovem enquanto velha e velha enquanto jovem conseguiu fazer.
Resultado de imagem para clarissa pinkola estesEsse livro, da mesma autora e poeta, contadora de histórias e analista junguiana de Mulheres que correm com os lobos, Clarissa Pinkola Éstes, foi escrito quando a mesma já tinha mais de 60 anos - ou seja, ela fala de algo com propriedade.
Ele fala sobre as relações mulher com ela mesma, mulher com outras mulheres e mulher com Deusa/com o dom natural que nasce com ela, de honrar e utilizar das três faces. Principalmente, noções importantes de irmandade e sabedoria.

É um livro essencialmente poético, repleto de metáforas bonitas dignas de boas ficções, que constroem a força sutil que seu conteúdo apresenta. Começando por convidar todas nós, leitoras - e esse é de fato um livro que lido por homem não há de ter o mesmo valor -  a entrar na "cabana da floresta"  e aconchegar perto da lareira pra conversar sobre o que realmente importa. E esse é o cenário perfeito para o que será estabelecido nas próximas páginas, já que devido a escrita intimista, como em uma real-oficial reunião de amigas somada ao conteúdo - ou seja, toda mensagem que uma visível alma e espírito experiente e sábio tem para nos passar trás a sensação constante de aconchego e calor. Afinal, segundo ela mesma “sempre que duas mulheres ou mais falam de assuntos que importam de verdade, o espírito formado se reúne com apreço mútuo”.

O subtítulo do livro trás um paradoxo que, para mim pareceu ser o ponto principal do livro. E sem hesitação ela mostra que ele se trata, principalmente, da Velha Sábia que existe dentro de toda mulher, independente da idade, que para acessá-la basta reconhecê-la e honrá-la - ou seja, explorar essa sabedoria espontânea é um resgate da nossa ancestralidade.

Resultado de imagem para tres faces da deusa a velhaMas o que é ser essa Abuelita, como a autora muitas vezes fala?! Bom, ser uma Mulher Sábia é basicamente, apesar de qualquer obstáculo, possuir “a grande perspicácia, a grande capacidade de premonição, a grande paz, expansividade, sensualidade, a grande criatividade, argúcia e coragem para o aprendizado”. Em outros trecho ela explica: “A tarefa crucial da grande mãe é simplesmente a seguinte, e nada além disso: viver a vida plenamente. Não pela metade. Não três quartos. Não um dia, abundância; no outro, penúria. Mas viver plenamente cada dia. Não de acordo com a capacidade do outro. Mas de acordo com a sua própria capacidade, predestinada, de livre-arbítrio, que dá a vida, não que entorpece a vida”“‘Quando uma pessoa vive de verdade, todos os outros também vivem’. Esse é o principal imperativo da mulher sábia. Viver para que os outros também se inspirem. Viver do nosso próprio jeito vibrante para que os outros aprendam conosco”.

Um dos pontos do livro também (não me lembro a ordem deles, mas lembro os que considerei importantes) é que Clarissa ressalta a importância de haver uma Avó na manutenção da sociedade feminina que ela trata como natural do sexo, já que esta fica encarregada de aconselhar e ajudar da melhor forma as mais jovens. “Os príncipes são bons. Os príncipes podem ser excelentes. Mas, com frequência, nos mitos, é a velha que tem algo realmente bom a dar”

Resultado de imagem para triplice lua

Ela também faz uma referência direta às três faces da Deusa quando diz que "juntas, elas (mulheres jovens e mulheres velhas) simbolizam dois aspectos essenciais encontrados na psique de cada mulher. Pois a alma de uma mulher é mais velha que o tempo, e seu espírito é eternamente jovem... sendo que a união desses dois compõe o "ser jovem enquanto velha e velha enquanto jovem."

Resultado de imagem para tres faces da deusa a velha

E Clarissa trás como resolução para uma mulher que perdeu o contato com um ou com o outro aspecto de si mesma, seja o espírito para sempre jovem ou a anciã conselheira... receber a benção. É, benção mesmo como muita gente pede aos avós e outros parentes mais velhos. Segundo ela, a benção abre todos os portões, faz com que você use algo que já possui, algo que nasceu junto com você no dia em que você chegou à Terra. Uma benção é para que você se lembre totalmente de quem é.

Nos capítulo seguintes Clarissa fala sobre os desafios que as Velhas propõem a si mesmas ou são feitas por quem duvida delas, de seu poder e capacidade, usando e abusando de métaforas para explicar que o processo de se tornar uma Mulher Sábia é um esclarecimento que transcende barreiras da psique e está inclusive para além do campo espiritual. Assim, a Mulher Sábia é um ser com várias camadas que a compõem e trabalhando com cada uma delas para mantê-las fortes, não tem fraquezas.

Resultado de imagem para arvore wiccaTambém é interessante o que Clarissa diz ao responder a pergunta "por que ela é perigosa?". Como já foi citado, as mulheres velhas ensinam as novas a fazer o mesmo. Plantam sementes. Assim, ela morre e cresce de novo. Morre. E cresce de novo.
É nesse capítulo que ela conta uma história pessoal de uma idosa que ela chama de Velha Ana. E um trecho que muito chamou minha atenção pois resume o SER uma Mulher Sábia foi "A Velha Ana era uma mulher que conhecia seu próprio corpo. Ela sabia como abaixar sua febre de um modo que mais ninguém poderia calcular. Como muitas grandes avós, ela sabia de coisas que ninguém pode questionar (...) Não existe explicação viável para algumas ideias que muitas grandes avós possuem, além do fato de que elas sabem das coisas."

No capítulo seguinte, vem o que eu acho ser o ápice do livro e o resumo do que é e das funções das Velhas em que ela explica nos capítulos anteriores: mais uma história pessoal sobre quatro mulheres testando um noivo no seu casamento. É simplesmente incrível, a escrita é tão impecável que você se sente vendo aquelas mulheres, não importa onde realmente esteja. E a cena é carregada de música, dança, suor, enfim, muitos elementos da bruxaria. Além de aqui, concretizar sua visão da velhice não como motivo de tristeza, mas de muita alegria pois são anos de muita plenitude e realização que ela descreve incrivelmente.

Na segunda parte do livro, ela faz uma grande prece à todas as mulheres no melhor estilo poético possível. É uma linda oração.

29 comentários:

  1. Eu fiquei completamente arrepiada com esse seu post. Apenas sensacional essa resenha e esse livro também, eu não conhecia. Acho cada vez mais bonito de se ver como as relações estão se dando de mulheres para mulheres, empoderamento é tudo hoje. Sucesso com seu blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom ler isso, Ju. Eu tava um pouco arrepiada enquanto escrevia também hahahah É verdade, espero que resgatemos cada vez mais essa relação bonita que mulher pra mulher tem naturalmente. Conheça o livro! Não vai se arrepender. Obrigada e bjão!

      Excluir
  2. Não conhecia o livro, faz um tempinho que não leio algo mas juro que fiquei super curiosa para saber mais, porque é ótimo ler coisas que colocam as mulheres LÁ EM CIMA!

    Parabéns pelo post :*
    http://4girlsstore.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza esse é um livro que trata as mulheres de forma bem diferenciada. Ele é bem fácil de ser encontrado, dps me diz o que você achou! Obrigada e bjos, volte sempre.

      Excluir
  3. S O C O R R OOOOOOOOOOOOOOO
    Meus Deus que post é esse ein? Me deu medo kkkk, mas já li alguns livros sobre montros que tinham bruxas rsrsrs. Sucessos para você e o blog♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahahah, acredite, as bruxas da vida real são bem diferentes dessas dos livros. E existe todo um motivo pra elas passarem esse "medo", mas isso já é assunto pra outro post hahah Somos boazinhas!!! Obrigada e sucesso também.

      Excluir
  4. Belo o post,é bom ler coisas desse estilo pra saímos um pouco da realidade e ver que isso já teve em nosso mundo é que ainda tem, tenho curiosidade em ler alguns, bela publicação

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Mikael! Bom, o ensinamento dessas coisas infelizmente sairão da nossa realidade msmo, mas elas em si estão presentes. Volte sempre :)

      Excluir
  5. Caraca que intrigante tudo isso, sério despertou super curiosidade de saber mais de todo esse mistério. Porem achei super positivo trazer mulheres em destaque e mostrar suas forças, sempre bom ver dessa forma os horizontes se expandindo e tendo espaço para todos.

    Adorei o conteúdo achei mega interessante.
    Sucesso na caminhada com o blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Na verdade só tem o ar místico, mas nada de mistério hahah Sucesso tb, bjos. Volte sempre!

      Excluir
  6. Não conhecia essa "vertente", mas acho super válido por toda a pegada feminista, o conhecimento da mulher, não só de si mesma mas como das outras.
    Gostei disso de ser jovem quando velha e vice-versa e olha, posso dizer que velha sendo jovem eu já sou hahahahaha mas espero ser jovem quando for velha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, com esse tipo de livro você enxerga com outros olhos todas as relações femininas. Hahahah, isso já tá dentro de você, é só saber explorar

      Excluir
  7. Eu estou absolutamente encantada com esse post. Não conhecia nada disso, e fiquei muito curiosa para saber mais. Inclusive, vou procurar este livro em versão digital.

    “A tarefa crucial da grande mãe é simplesmente a seguinte, e nada além disso: viver a vida plenamente. Não pela metade. Não três quartos. Não um dia, abundância; no outro, penúria. Mas viver plenamente cada dia. Não de acordo com a capacidade do outro. Mas de acordo com a sua própria capacidade, predestinada, de livre-arbítrio, que dá a vida, não que entorpece a vida”.

    Simplesmente genial.
    Obrigada por compartilhar conosco!
    Beijos

    www.patriciasachs.com,br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que consegui despertar essa curiosidade em você, Pat. Considero a descoberta do Sagrado Feminino um ato libertador para todas as mulheres. Sobre o livro, voce encontra sim! Eu mesma li em PDF. Essa parte é mesmo sensacional!!! Te espero nos próximos "bruxaria literária", um beijão <3

      Excluir
  8. Muito bom seu post. Nunca li nada nesse estilo literário, mas fico curiosa para conhecer um pouco mais sobre. Parabéns pelo post!
    Beijos

    www.gotadechampagne.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com a internet aí, de curiosidade cê não morre hahah Tem muito conteúdo! Obrigada Duda, bjos.

      Excluir
  9. Uau, eu nunca li nada sobre o assunto então tudo é mega novidade para mim. O que eu mais gostei é a questão poética sabe? Me cativou muito, quero conhecer mais e mais.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marcela, então, não são todas as autoras que vão falar sobre bruxaria e usar essa linguagem, mas as orações costumam ter essa pegada sim! Dá uma pesquisada e boa leitura.

      Excluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Que post maravilhoso, você escreve de uma forma tão mágica que é como se estivéssemos lendo o livro. que bacana, parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Cida, muito bom ler isso! Sempre escrevo nessa intenção. Volte sempre!! :)

      Excluir
  13. Que legal esse post, você além de gostar de ler capricha na escrita, gostei do belo resumo que ffez sobre esse livro, descreveu com tantos riquíssimos detalhes que deu até vontade de ler.
    Bjs Sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom ler isso!! Muito obrigada, de verdade. Sempre escrevo nessa intenção :) Obrigada, A. Volte sempre!!

      Excluir
  14. Que legal sua postagem ,adorei saber sobre o assunto.

    ResponderExcluir
  15. Primeiro parabéns pelo post! Admito que não tenho conhecimento sobre esse assunto mas com a sua resenha você despertou uma curiosidade em mim. Na verdade sempre achei interessante essa parte de bruxaria tradicional mas nunca cheguei a ler profundamente sobre é não tenho conhecimento sobre o assunto. Vou dar uma olhadinha no resto do seu blogue para me emponderar mais.
    Tambem gostei que o livro tem uma pegada feminista, isso pra mim já é 10.
    Beijinhos

    www.soltavoz.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se despertou a curiosidade, já é o primeiro passo. Com a internet aí, desinformada você não fica, dá pra achar muita coisa! Pretendo falar sempre aqui no blog sobre isso, então continua acompanhando. Quanto ao livro, vc acha em pdf facinho. Obg e beijos! <3

      Excluir
  16. Essa semana eu retomei meus estudos mágicos, para retomar o hermetismo, conhecer mais da goétia, entre outros assuntos mais maduros do que simplesmente evocar energias básicas. É adorável ler seu texto e ser lembrado que dentro de um contexto de religião comparada, a trindade surgir em uma configuração matriarcal não só nos dá uma nova perspectiva quanto afirma um padrão místico. Sua resenha me despertou interesse por essa leitura, que espero iniciar em algum momento futuro.
    Gostei da referência à árvore celta da vida e de ver que você está produzindo conhecimento. Espero sempre acompanhar o blog de perto. Continue postando!

    ResponderExcluir